Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A lista de Natal ideal

por twin_mummy, em 18.12.13

Tenho andado por aqui a pensar muito na minha lista ideal de prendas de Natal. Em primeiro lugar o pedido é directamente para Deus... por apenas um dia que seja quero a minha família toda de volta!! Todas aquelas pessoas que adoro e que já partiram... quero-as cá no Natal. Quero abraçá-las e mimá-las, apresentar os meus mabecos, e dizer tudo aquilo que não tive oportunidade de dizer. E quero que o tempo volte atás para o meu pai poder estar connosco da forma como merece. E quero que a minha mãe volte a sorrir... (adoro-te muito, muito!)

 

Ainda num tom lamechas, e porque ofereço tantas fotos e albuns dos mabecos, gostava que este ano me oferecessem a mim. E não, não serve impresso em casa e que seja eu própria a colocar na moldura, ó Sr. co-irresponsável. Tu consegues melhor de certeza!!

 

E agora passemos adiante a parte da saúde para todos e paz no Mundo que eu não sou nenhuma modelo e falemos de coisas bem mais materiais.

 

Peço desculpa à minha familia, porque os adoro de uma forma inmensurável, mas cada vez mais anseio por um pouco de silêncio e descanso. Estar uma noite sozinha, num hotel de 5 estrelas, sem ninguém a chamar por mim, sem ter de me levantar a meio da noite, sem tarefas a realizar, e ter alguém a servir-me em vez de ter de servir alguém. Saberia muito bem... E é apenas uma noite, certo? 

 

Depois como gosto de joias e de gadgets descobri esta bela pérola Swarovski, que mais que uma bracelete de brilhantes é uma pen com 8 GB! Seria uma maneira original e linda de ter as fotos dos mabecos sempre juntinho a mim, e realçar o lindo brilho dos meus olhos... eheh

 

 

Outra coisa que quero pedir, desta vez a escala internacional, é para a YSL voltar a fazer o Champagne. Não, não é o substituto Yvresse... é mesmo o antigo Champagne, porque por muito que digam que é igual... não é! Cheira de forma diferente, juro! E depois mandem para aqui um frasco dele se faz favor. E sabonetes também. Nem precisa ser Natal... aceitamos encomendas todo o ano!!

 

Também gostava de ter um kit de unhas para a minha velhinha DT125. Confesso que foi este ano uma original prenda de aniversário (cotinha mas pronta para as curvas como a dona), mas que ainda não a estreei, porque tenho medo de cair de lá e depois não conseguir tratar dos mabecos. Mas se o co-irresponsável estiver de acordo não vamos deixar isto para o ano, certo?

 

E depois finalizava a lista com uma prenda de dona de casa que é... uma marquise! Para secar a roupinha em condições, mesmo de inverno... dava um jeitaço! E se vier agarrada a uma casinha, que nem precisa ser nova a estrear, mas que não tenha pelo menos o peso da idade que esta vai demonstrando, também não me importo. É pedir muito, é certo... mas por isso a designo como 'A lista de Natal ideal'.

 

Mas digo finalizava porque na semana passada tive a cozinha alagada e esta semana tenho a garagem alagada, e dou por mim a pensar que a prenda de Natal ideal seria um barco... Pai Natal quero um Zebro!! (e pode vir com fuzos e tudo!)

 

 

70 anos de 'O Principezinho'

por twin_mummy, em 17.12.13

Não poderia deixar passar em claro os já 70 anos de 'O Principezinho'. Certamente que já todos ouviram falar, mas infelizmente nem todos leram e por isso fica aqui o desafio para 2014: ler ou reler aquela que é a obra mais traduzida do século XX.

 

Apesar de ser considerado um livro infantil, foi já na minha adolescência que tomei contacto com ele. E marcou-me.

 

Numa versão mais simplicista fala de um príncipe que vive num pequeno asteróide, e que nas suas viagens interplanetárias calha de se encontrar com um piloto caído no deserto do Saara, e aproveita para contar a sua história.

 

Se o lermos de uma forma mais atenta e aprofundada, coloca-nos perante os inúmeros dilemas da vida, como o isolamento, a monotonia, o ter de se cuidar de algo frágil como uma rosa, e que nem sempre retribui da melhor forma. Fala da importância da disciplina, de não descuidarmos de cuidar de quem gostamos, e de apreciarmos cada pequena coisa, como um simples por do sol. Sobre os laços que se criam e a dificuldade que temos em dizer adeus a quem se gosta, que no fundo se traduz num certo egoísmo e egocentrismo que é preciso combater, quanto mais não seja por respeito a tudo aquilo de bom que essa pessoa trouxe à nossa vida. 

 

Numa versão mais alternativa será apenas um E.T. deprimido e chato, que em vez de ligar para o 112 e pedir auxílio para o piloto caído, decide melgá-lo com uma história interminável enquanto exige desenhos.

 

Eu tenho dias que simplesmente nem tenho coragem para o ler e outros em que o leio e releio, tentando não me esquecer daqueles valores básicos da vida, e que fazem com que no fundo ela faça sentido, apesar de todas as adversidades. Em jeito de conclusão, e porque nada do que eu escrevesse aqui poderia sequer aproximar-se daquilo que foi escrito por Saint-Exupéry, ficam algumas frases chave, daquele que é o meu capítulo preferido, e que fala do encontro entre o Principezinho e uma 'simples' raposa astuta.

 

Dizia a raposa: 'Por enquanto, para mim, tu não és senão um rapazinho perfeitamente igual a outros cem mil rapazinhos. E eu não preciso de ti. E tu também não precisas de mim. Por enquanto, para ti, eu não sou senão uma raposa igual a outras cem mil raposas. Mas, se tu me cativares, passamos a precisar um do outro. Passas a ser único no mundo para mim. E, para ti, eu também passo a ser única no mundo.' (...) 'Tenho uma vida terrivelmente monótona.' (...) 'Mas, se tu me cativares, a minha vida fica cheia de Sol. Fico a conhecer uns passos diferentes de todos os outros passos. Os outros passos fazem-me fugir para debaixo da terra. Os teus hão-de chamar-me para fora da toca, como uma música.' (...) 'Só conhecemos as coisas que cativamos.' (...) 'É preciso ter muita paciência. Primeiro, sentas-te um bocadinho afastado de mim, assim, em cima da relva. Eu olho para ti pelo canto do olho e tu não dizes nada. A linguagem é uma fonte de mal-entendidos. Mas todos os dias te podes sentar um bocadinho mais perto...'

 

Por isso, para evitar mal-entendidos por aqui me fico por hoje... votos de um dia cheio de Sol a todos os que me cativaram!!

Pensamento do dia: O intercomunicador

por twin_mummy, em 17.12.13

Se me enternurece ver o Pandinha a mostrar a camisola e o puzzle para o intercomunicador (e não, o intercomunicador não tem câmara mas eles fazem isso com todos os telefones ou aparelhos similares) confesso que me assusta quando ele exclama 'Ó palhaçooooo! Vem cá acima!!'.

{#emotions_dlg.clown}

Teorias dos mabecos: Mesa de gala

por twin_mummy, em 16.12.13

Este ano decidimos ir para casa da avó paterna celebrar o aniversário do dito. A minha sogra leva essas festividades muito a sério e, apesar de ser um almoço apenas para 4 adultos e 2 mabecos, começou a preparar logo tudo de véspera.

 

Chegados ao dia apressou-se a mostrar as iguarias que teriamos à espera enquanto tirava a melhor loiça para por a mesa e colocava o champanhe a gelar.

-Vamos ter almoço de gala! -brincava ela.

-Não se diz gala, avó... é galo. -corrige a Patapon.

 

Créditos da imagem: www.mercado.etc.br

Se te quero?

por twin_mummy, em 15.12.13

Quero-te quando a noite te envolve num abraço,

e te aninhas junto a mim.

Quero-te quando embalas os teus filhos,

e os olhas com uma ternura desmedida.

Quero-te quando sorris a cada sorriso meu,

e me acaricias o rosto com o teu doce toque.

Quero-te quando enrubesces a cada poema

e os guardas na gaveta, como que junto ao coração.

Quero-te quando a tua alegria é contagiante,

e mesmo nos momentos mais complicados me consegues fazer sorrir.

Quero-te quando mergulhas nas águas frias do mar,

e sais de lá para os meus braços em busca de calor.

Quero-te a cada gesto de ternura,

a cada carícia e a cada doce murmúrio.

Quero-te muito, muito, quando me transformas em mochila-koala,

e me levas pela estrada fora agarradinha a ti.

Quero-te sobretudo sempre que inequivocamente me queiras!

...e se alguma outra parte de ti sobejar, essa então não quero!!

 

E claro que neste dia especial quero-te dizer... PARABÉNSSSSS!!

Dar cartas...

por twin_mummy, em 14.12.13

Em tom de desespero, num dia em que os gémeos estavam particularmente irrequietos, acabei por lhes dar um baralho de cartas, e expliquei que dava para verem ali os números. Por entre 'É um sete' e outras afirmações tais, os miúdos perceberam que mesmo os setes não eram todos iguais, e lá dei por mim a tentar explicar os naipes a crianças de 3 anos:

 

-Qual é este? -perguntava o Pandinha.

-É o 2 de paus.

-Ahhh! -exclama o puto com ar desiludido- Não são árvores?

-Não, querido... parece, mas aqui chama-se paus.

-E onde está o Palepi?

-Quem?

-O Palepi...

E depois de muito pensar lá percebi de que é que ele falava e, para sua satisfação, procurei os valetes por entre o baralho.

 

 

Nisto a Patapon grita eufórica:

-Olha este, mamã! É um palhaçoooooo!!

-Chama-se Joker, querida.

-Mas é um palhaço! -insistia ela.

-Sim, podes chamar-lhe palhaço...-cedia eu.

-Eu também quero um palhaçoooooo! -começa o Pandinha quase em prantos.

-A mana dá! Há muuuuuitos palhaços!

 

Pois eu não diria melhor. Cada vez mais acho que há por aí muitos palhaços que se perderam do baralho... É nessas alturas que adoraria ser a Rainha de Copas (não aquela a 2D do baralho mas aquela mafiosa 3D da 'Alice no País das Maravilhas') para gritar:

-Off with their heads!!

 

 

 

 

Créditos da Foto: APP

Uma questão de imaginação

por twin_mummy, em 13.12.13

Cenário de final de tarde, a Patapon sossegada a brincar na sala e o Pandinha desaparece na direcção do quarto. Minutos depois ainda nada, e decido ir lá ver o que ele estaria a fazer tão sorrateiramente. E deparo com esta paisagem...

-O que é isto???? -Pergunto eu já meio em pânico a imaginar a desarrumação que se seguiria.
-Ó mãe... é uma ponte!!
E como eu não sabia por onde lhe pegar já que ele não estava propriamente a portar-se mal, e até achei piada ao facto dos livros estarem todos alinhados de costas, simplesmente respondi:
-Ah, pois!
...e voltei para a sala.
No fundo como dizem que a imaginação é a base do empreendedorismo deixem-no lá ser arquitecto no Mundo do faz de conta...

Maus pais merecem carvão

por twin_mummy, em 12.12.13

Há dias estavamos numa daquelas ondas de perguntas e a Patapon era quase sempre a primeira a responder, como é hábito (já me estou a preparar para gerir o 'efeito marrona' na escola daqui a uns aninhos). Acontece que desta vez o Pandinha estava distraído e demorava muito mais que o normal para responder. Mas muito mesmo...

 

E nisto o co-irresponsável vira-se para o Pandinha e sai-se com esta:

-Bolas... pareces o internet explorer...

 

E eu confesso que em vez de o repreender por gozar com o filho acabei por me juntar à risota.

 

Por isso não será de admirar que este ano o Pai Natal não seja particularmente generoso connosco. Se fosse lá para terras nortenhas estes maus pais receberiam carvão... aqui por Lisboa acho que nem isso.

(De)corações de Natal...

por twin_mummy, em 10.12.13

Resolvi aceitar o desafio 'inspira-me' do sapo e dar-vos a conhecer as nossas (de)corações de Natal, e assim as chamo porque todas elas nos tocam de alguma forma ao coração. Depois de mais uma semana sozinha com os mabecos, seguida de uma semana complicada de constipações e noites mal dormidas, a energia para tratarmos das decorações de Natal não era muita. Por isso confesso que adiei um pouco as coisas, mesmo porque queria que os mabecos fossem parte activa no processo, mas isso requer um grande controle a paciência da nossa parte e, enfim... perdoem-me se sou apenas humana.

 

Acontece que se muitas pessoas com crianças (hoje em dia é cada vez mais prudente não dizer 'casais') foram praticamente forçadas a colocar as decorações em Novembro (ou mesmo em Outubro, como confessou uma prima nossa no fim de semana passado), a maioria colocou no dia 1 de Dezembro, pelo que para nós começava a ser complicado gerir o entusiasmo dos miúdos. Perante a triste exclamação da Patapon ao ver a porta da vizinha da frente enfeitada:

-Olha, mãe! Ali já é Natal! 

e tendo em conta que ultimamente o Pai Natal é uma constante das nossas conversas (a maior parte das vezes para fazer chantagem com eles e assim convencê-los de forma 'pedagógica' a portarem-se bem, mas isso também não vem ao caso...), entendemos que não havia de passar deste fim de semana. 

 

Como a casa é pequena sempre tivemos uma árvore à medida, porque no fundo o que importa é o espírito, certo? Para evitar também grandes elaborações e acumulação de pó (viva as alergias!) recorriamos por isso a uma pequena árvore com galhos entrelaçados, pintada de dourado, a fazer pendent com a estrela que colocávamos na porta. Este ano, por iniciativa do co-irresponsável, metemos mão à obra com os miúdos e resolvemos fazer uma nova árvore. Com 2 folhas de cartão, lápis de cor, e uns tubos com gel e purpurina colorida, não poderiamos ter ficado mais orgulhosos do resultado.

 

 

De resto a estrela da porta permaneceu, e colocada em família como nos anos anteriores. Começa a ser uma tradição que eu espero que se mantenha por muitos anos (nem que tenha de os subornar!).

 

 

Persistem também as decorações que adquirimos quando remodelámos a sala e que combinam com a escandalosa parede vermelha (aproveito para dar um recadinho ao pintor que andou a sugerir salmão... não, ainda não estamos fartos!), e que no fundo nos recordam tudo o que passámos desde que estamos juntos (nunca se metam em obras!).

 

 

E a fada (ou duende ou lá o que quiseram chamar) que comprámos para 'o bebé' numa feira de artesanato quando descobrimos que estava grávida, mas longe de saber que seria de gémeos. Devia ter desconfiado ao ver que no cestinho ela traz mais que uma pinha...

 

 

Depois temos alguns apontamentos simples espalhados pela casa, como estas árvores de Natal que foram herança das decorações dos meus tempos de solteira (será muito mau dizer... que saudades?? hmmm...).

 

 

Temos as usuais luzes para não destoar dos outros lares portugueses e que tão bem conjugam com as edições especiais do Homem de Ferro e dos meus queridos Watchmen (este gosto das edições especiais é felizmente um dos muitos partilhado com o co-irresponsável).

 

 

Novidade das novidades, este ano uma excelente aquisição, na IKEA, por apenas 3,99€. Tem a grande vantagem de funcionar a pilhas, e graças às ventosas dá este efeito especial ao espelho da casa de banho. A desvantagem é que de vez em quando se solta uma ventosa e quando isso acontece à nossa passagem é difícil conter os gritinhos histéricos.

 

 

Gostava também de vos mostrar o Pai Natal e o boneco de neve que os pequeninos trouxeram do berçário no nosso primeiro natal em família, mas os bonecos são tão patuscos que eles ainda não os largaram, e até dormem com eles. E assim fica concluida a 'tour cá por casa.

 

Com isto até achámos que estava giro, simples e original. Até vermos a árvore dos nossos amigos Tiago e Alice. Graças à minha completa ignorância em relação às novas tecnologias (e por novas quero dizer desde o tempo do VHS até ao presente), não consigo carregar o vídeo, mas acreditem em mim que o efeito das luzes a passarem pelas rodas é sublime, pois dá uma sensação de movimento incomparável a qualquer outra 'árvore'. 

 

A eles os meus parabéns pela originalidade e o desejo de que para os próximos anos, com a chegada do novo elemento da família, nos consigam continuar a surpreender... a 3!

 

E a todos vocês que por aqui andam, mais comunicativos ou mais envergonhados, votos de um Natal muito inspirado!!

Teorias dos mabecos: o hidroavião

por twin_mummy, em 09.12.13

Mais um dia, mais uma chapa, mais uma volta. Estávamos nós a ver 'Os Heróis da Cidade' (já aqui referi no post 'Pérolas dos Mabecos: os heróis da cidade e o vilão' tratar-se de uns desenhos animados que giram em torno de um grupo de carros-heróis) quando aparece um hidroavião amarado na zona portuária.

 

-Quem é aquela? -pergunta a Patapon.

-É um hidroavião. Não sei o nome dela. -responde o co-irresponsável.

 

E ela no tom mais gozão do Mundo vira-se para o pai e exclama:

-É nada! está na água... é um barco!

 

E encerrou ali o assunto nos minutos seguintes pois por muito que tentássemos explicar ela ria-se, provavelmente achando que se tratava de um delírio colectivo dos papás.

Pandinha: um homem bem resolvido!

por twin_mummy, em 08.12.13

Adoro quando os gajos se brotoejam todos por causa daquilo que é socialmente visto como algo masculino ou feminino. Aqui o blog não é excepção, já que por entre os muitos visitantes incógnitos estão alguns amigos meus do sexo masculino, que tiveram a coragem de me dizer que seguem o blog mas que não o comentam por ser de cariz feminino, para não dizer pior. Um deles até usou a expressão 'O único blog de gajas que gosto de ler'. Mas às escondidas, certo? Não vá alguém pensar que ele teria uma pontinha cor-de-rosa (com o novo acordo ortográfico acho que já não é assim que se escreve mas estou-me a borrifar, em primeiro lugar para o acordo, em segundo lugar para quem o defende).

 

Já por diversas vezes ouvi pais (pais no sentido de progenitores, por incluir ambos e o português ser uma língua machista... espera lá que agora o acordo não me parece tão mal se trouxer um pouco mais de flores à nossa vida e causar mais brotoeja a uns quantos) de crianças de sexos diferentes (e com isto quero dizer que têm filho(s) do género masculino e filho(s) do género feminino) queixarem-se dos comentários de familiares, amigos ou meros transeuntes por verem o puto brincar com uma boneca ou a miúda de manga arregaçada a encher-se de óleo de motor.

 

Também eu já assiti a olhares reprovadores de soslaio quando o co-irresponsável segura na minha mala. Devem achar que tocar num tal objecto faz com que, à laia de transformer (e desde já aproveito a desculpa para elogiar o novo anúncio da Vodafone, o qual espero poder 'escrutinar' brevemente- assim os mabecos me deixem tempo e neurónios para isso), ele vire gaja. Também adora dar-lhes banho e não me deixa secar o cabelo da Patapon. E mesmo assim ainda é macho! Será o vinho e a cerveja que o protegem?

 

Pois a esses caríssimos dinossauros ignorantes deixem que vos diga que já o meu pai (homem de outra geração e de uma zona de província, pelo que nem essa desculpa vos resta), quando eu era pequena, ia à mercearia (num tradicional bairro lisboeta onde toda a gente nos conhece e mete na nossa vida) comprar pensos higiénicos para as 3 gajas que tinha lá em casa, e hoje em dia continua com voz grossa. E não será do vinho nem da cerveja, que infelizmente por motivos de saúde (porque interfere com a medicação) ele teve de deixar. Então como se explica?

 

Acho que no fundo se explica pelo sentido prático das pessoas. Há adeptos dos KISS (não, não me refiro ao grupo musical, mas à célebre máxima 'Keep it simple stupid', no sentido de não complicar as coisas) e há malta com minhocas na cabeça em que tudo lhes faz confusão.

 

E agora perguntam vocês... (um de cada vez, um de cada vez!) porque raio fui buscar esta conversa? Ora... porque esta semana tocou ao Pandinha ser colocado perante um dilema desses em tão tenra idade.

 

No seguimento das multiplas Campanhas-de-Angariação-de-Qualquer-Coisa de Natal em que, atendendo à época e ao espírito vivido, ninguém questiona nada, dei por mim a dar 5€ por uma caneta para ajudar uma causa (por acaso nobre, não quero de todo retirar-lhe essa premissa). Pois... mas quando se tem gémeos temos que contar com tudo x2. Por isso foram 10€ por 2 canetas: para a Patapon uma vermelha da Kitty, e para o Pandinha uma azul do Homem-Aranha, segundo a escolha deles.

 

Que sejam multifunções é irrelevante, porque 10€ por canetas, nem que façam café, custam-me a dar. Só que a semana foi terrivel e aquilo estava estrategicamente colocado ao nível de visão dos mabecos, e eles pediram com jeitinho, e eu estava cansada, e... sim... estou a ficar moleeee!! Bem... dei a repetir para mim própria que uma causa mais nobre se levantava e que alguém ia dar bom uso àquele dinheiro, e trouxe as canetas para casa na condição de só pegarem nelas depois de tomar banho e jantar, porque eu já sei o que a casa gasta quando há uma novidade.

 

E assim foi! Tomaram banho sem birra, jantaram bem, e depois até ajudaram a levantar a mesa e foram buscar os cadernos. Começam a escrever e a Patapon fica louca ao perceber que aquilo dava luz. Pois... mas a do Pandinha (em tudo semelhante) não dava. Ora uma das vantagens dos filhos únicos é que não há termo de comparação, mas com os gémeos temos sempre que contar com o factor 'outro puto'. Ele estava feliz com a caneta dele até ver a da mana, e não é parvo para achar que merece menos que ela.

 

Nos minutos seguintes tentei apaziguar as coisas e explicar que a caneta dele deveria estar estragada, mas para não ficar triste que a mamã no dia seguinte falaria com a senhora que me tinha vendido a caneta. E assim foi... no dia seguinte falei com ela e qual não é o meu espanto quando ela me diz que não haveria problema em trocar, não fossem as do Homem-aranha terem esgotado, mas que podia tentar arranjar. Ora eu conheço o Pandinha... ele não ia aguentar ficar nem mais um dia sem caneta. E de repente imaginei-me a calcorrear as papelarias todas de Lisboa com o Pandinha em prantos, mas pelo sim pelo não decidi pedir um tempo para falar com ele, que estava entretanto com o co-irresponsável, a apenas uns metros de distância.

 

Com aqueles olhos doces a fitarem-me ansiosos comecei a explicar-lhe a medo que não havia mais canetas do Homem-aranha, mas que iam tentar arranjar. E responde-me aquele pequeno homem que cada vez me enche mais de orgulho:

- Mas há da Kitty! Acendem, mamã?

- Sim, acho que só a tua estava estragada.

- 'Podo levar da Kitty?

- Sim, querido! Podes levar da Kitty!

 

E lá seguiu o Pandinha, de sorriso estampado, a empunhar uma caneta da Kitty, e ainda a acrescentar orgulhoso para a mana:

-Olha! É 'igaaaaal'! (é um jogo que eles fazem que consiste em encontar coisas iguais e anunciarem aos 7 ventos)

 

Nisto dei por mim a tentar perceber se o que estava mais iluminado era a caneta da Kitty, a cara do Pandinha, ou o meu coração...

Pérolas dos mabecos: A idade certa

por twin_mummy, em 08.12.13

Novamente a saga dos collants (quem não sabe do que se trata, ver o post 'Pais da tanga: Os collants'). Tem estado um frio de rachar e o Pandinha agora insiste que quer meias 'Das pequenas'. Ora quando lhe visto calças com forro ou mesmo nos dias de ginástica em que usam calças de fato treino ainda consigo serenar um pouco, mas quando são calças mais finas faz-me confusão, e tenho andado a insistir nas tretas a ver se o convenço.

 

Anteontem andávamos nessa troca de galhardetes quando me lembro dele ter visto o pai a preparar-se para uma volta de mota pelo campo, em que vestiu umas calças térmicas por baixo das de ganga. Nessa altura o co-irresponsável (valha-me a cumplicidade) reforçou que eram 'calças com pés' que se vestiam por baixo das calças por causa do frio. Vai daí, tentando usar o gosto que ele tem por motas argumentei:

-Querido... veste as calcinhas com pé, como o papá. Para poderes andar de mota...

 

E nisto a Patapon que estava ali ao lado aparentemente distraída a brincar com o Boo, sai-se com esta:

 

-Mas o mano não pode andar de mota...ainda é pequenino!

 

'rais parta! 

Pensamento do dia: Sono profundo

por twin_mummy, em 07.12.13

Sabemos que uma criança está a dormir profundamente quando, em plena madrugada, cerca de 2h depois de a andarmos a embalar porque não consegue dormir com o narizito entupido, vamos pé ante pé com ela na direcção da caminha e ao acertarmos em cheio com a cabeça da dita na esquina do móvel ela geme e continua a dormir.

Gostos aleatórios

por twin_mummy, em 06.12.13

No que toca a comida, cá por casa temos uma regra, também incentivada pelo pediatra dos meus filhos, que é não forçar ninguém a comer. Mas têm sempre de experimentar. Pois a Patapon alinha em tudo e é raro não gostar de alguma coisa, já o Pandinha é o oposto. Por vezes ainda é ele próprio que diz querer experimentar, mas por norma o resultado é uma enorme careta seguido de um rotundo 'Não gosto!'. E a Patapon -tadinha!- lá faz o sacrifício de dizer 'Não queres, mano? Dá cá que eu como!', e nota-se que é com imeeeeeenso esforço que ela faz aquele sacrifício de comer a parte de ambos. Confesso que por vezes tenho muita dificuldade em entender que são irmãos, quanto mais gémeos!

 

Costumo dizer que, sobretudo no que toca a fruta, tenho uma filha rica e um filho pobre. Ela adora papaias, mangas, diospiros, framboesas, mirtilhos, até anonas! Ele come laranja, banana, maçã e pouco mais. E chega a ser alvo de gozo por parte dela 'O mano só gosta de laranja. Passa o tempo a pedir laranja! ai, ai!', e abana a cabecita.

 

Por tudo isto foi com uma grande admiração que ouvi o queixume dela aqui há dias, ao chegar da escola.

- Eu só comi pão com manteiga hoje... -dizia com tristeza.

- Mas não estás bem, filha? Dói alguma coisa? -perguntei eu.

- Não, mamã! Era bacalhau!

- Então e não comeste bacalhau porquê?

- Porque não gosto de bacalhau, mamã! Tens que ir lá falar com elas e explicar que não gosto de bacalhau... -pedia ela numa voz miserável.

- Não gostas de bacalhau? Mas ainda na semana passada a mamã fez bacalhau e tu comeste tão bem.

- Mas agora já não gosto de bacalhau e tens de lá ir falar com elas!- respondeu-me ela em tom autoritário enquanto abanava o dedito no ar.

 

E quem serei eu para a criticar? Não era eu que dizia querer ter filhos com personalidade? Pois agora... come e cala, twin!! Come e cala!!

6 meses de blog: O que vos move...

por twin_mummy, em 06.12.13

Perante o aumento exponencial das visitas ao blog (estamos de momento com quase 140 visitas/dia, embora chegue a atingir picos de 380!!) nos últimos 3 meses (o que tendo em conta o tempo de vida útil do mesmo equivale a praticamente metade da sua existência) tenho andado extremamente curiosa em saber quem por aqui anda e porquê. Alguns de vocês já se identificaram publicamente depois dos meus apelos, outros fizeram-no mais timidamente por e-mail ou até por terceiros. E há ainda aquele mais corajosos que chegam a comentar posts.

 

Se em relação a números basta olharem para o contador para ter uma ideia aproximada de quantos partilham desta minha loucura colectiva, no que toca a motivos só com esta nova opção das 'Estatísticas do Sapo' é que foi possivel perceber melhor. Para que todos vós, que me aturam, entendam que também não estão sós na vossa loucura, ficam desde já a conhecer também algumas dessas motivações.

 

Muitos (ou deveria dizer muitas) conhecem-me do fórum e por isso eu já esperava que por aí viessem umas quantas visitas, simplesmente porque vamos trocando umas palavras por lá e naturalmente acabam por vir cuscar o que andam a fazer os meus mabecos por estes dias. Depois da visibilidade que o blog teve no 'Recortes do Sapo' no passado dia 16 de Novembro, também não é surpresa que muitos bloggers que andem por ali a passear me encontrem, e depois há o factor Google que é uma opção óbvia.

 

Entre os termos de pesquisa surgem aqueles já esperados como: 'gravidez gemelar', 'preparação maternidade gémeos' ou mesmo de nomes de séries e desenhos animados que aqui constantemente invoco, e noto que já muita gente pesquisa por 'twin_mummy+blogs+sapo' o que se por um lado me deixa feliz por ser alvo de pesquisa direccionada, por outro deixem-me sugerir um atalho bem mais rápido... basta carregar em 'seguir perfil' (a opção que aparece no canto superior direito por baixo da foto que já vem sendo minha imagem de marca) e assim não só fico gravada nos vossos corações e pc's como me permite saber quem por aqui anda mais timidamente, e retribuir a visita ao vosso blog. Também vos quero conhecer, ok? Também me quero rir dos vossos disparates e perceber que não sou a única mãe em desespero.

 

Agora o que gostava de poder partilhar convosco, e que me deixou deveras admirada, mas não menos divertida foram alguns termos de pesquisa que eu não esperava de todo, de entre os quais:

- Como forrar um sotão

- Mais valia estar calada

- Calendário Popota onde vai estar

- Só me apetece esganá-los

e o supra sumo das pesquisas...

- Sexo+wc+ estação do oriente

 

Ora em relação aos primeiros quatro critérios gostaria de dizer que muito me apraz saber que vêm aqui parar pelos motivos correctos (noooot!), e delicio-me a imaginar a vossa cara de desilusão ao depararem com esta fantochada que é o meu blog. Lamento! E desejo-vos melhor sorte para a próxima. Ou então juntem-se à loucura e dêem umas dicas para forrar sotãos que eu sou muito permissiva em relação à (des)censura dos comentários e acho até o tema extremamente útil.

 

 

Já em relação ao último motivo de queda aqui no blog da Twinzita, bem... Eu falei sobre o wc do Lusitânia combóio hotel (que parte justamente da estação do Oriente) na descrição da nossa escapadela romântica para Madrid (a quem não acompanhou a aventura basta ver o post 'Escapadela semi-romântica: Parte 1- A partida', e depois as 3 restantes partes para perceber que mesmo sendo mãe de gémeos é possivel ter uma outra vida, sim... só não quer dizer que se consiga descansar, mas é na mesma divertida), mas cumpre-me esclarecer que não foi de todo com esse intuito.

 

Aliás, a quem já por lá andou pode atestar comigo que tentar concretizar essa tarefa é capaz de ser uma perigosa aventura, a não ser que sigam ambos munidos de capacete, porque aquilo não jinga apenas... abana-se todo ao ponto de parecer que se está a desconjuntar. E há peças de inox a toda a volta que são duras. Fica a advertência, e deixo o resto à sua/vossa consideração.

 

Quanto à estação do Oriente própriamente dita, eu já lá trabalhei perto, mas preferia vir a correr para casa do que usar uma daquelas casas de banho, atendendo ao estado de... bem... sujidade? Por isso fica mais este alerta e depois não me digam que não foram avisados. E de resto divirtam-se, mas se não planearem ter mabecos cuidado com uma outra coisa que se chama pílula. Aquilo quando diz que é eficaz a 99% é mesmo porque não o é na totalidade. E tenho um 'Merci' e uma 'Lon' para o comprovar.

 

A parte boa é que embora me deixem completamente de rastos (estão numa fase complicada mas já ouvi dizer que isto só dura os primeiros 30 anos), dão-me também toda esta inspiração que tento aqui partilhar convosco! Por isso entre bater com a cabeça no lavatório do wc do Lusitânia ou ter gémeos... 1000x ter gémeos (mesmo que sejam uns mabecos)!!

As imagens utilizadas neste blog são na sua maioria de autoria própria ou de amigos e familiares, com o devido consentimento. A autoria daquelas que são retiradas da internet será indicada sempre que seja possível fazê-lo de forma inequívoca, mas mesmo assim poderão ser removidas caso o autor o entenda, bastando para tal contactar-me para o e-mail aqui indicado.



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

calendário

Dezembro 2013

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031



O MEU E-MAIL

mail.twinmummy@gmail.com Enviem perguntas, sugestões, ou simplesmente digam olá!

A MINHA PÁGINA DO FACEBOOK

https://www.facebook.com/TwinMummyblog