Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Bebedeiras e festividades

por twin_mummy, em 02.11.13

Correndo o risco de deturpar completamente o imaginário infantil da minha mãe, há certas coisas que acabamos por constatar e que precisam ser ditas publicamente, e mais publicamente que isto não seria possível: Há bebedeiras e bebedeiras.

 

Recordo-me que a minha primeira bebedeira foi com amêndoa amarga em casa de uma amiga minha. Meus caríssimos teenagers que me estejam a ler (neles incluo o meu querido sobrinho Gonçalo, que o Vasquinho ainda não tem idade para essas coisas) por favor se ainda não tentaram...evitem! É a pior bebedeira que podem apanhar, e ainda hoje me recordo daquela ressaca como se fosse a última da minha vida. Claro que não foi! Mas de amêndoa amarga garanto que sim! Por essa altura o Halloween era apenas mais uma desculpa para bebermos e uma triste oportunidade para sermos confundidos com os membros da No Name Boys.

 

Depois destas 'estreias' mais tolas acabamos por passar por um período de uma certa acalmia, e olhem que para quem não gosta de cerveja como eu e por isso recorre às bebidas brancas, acreditem que não é fácil ficar sóbria. Mas lá consegui sobreviver às festas iniciais da faculdade (no meu tempo eram pelo menos 5 anos a festejar) com alguma 'verticalidade'. O problema é que quando não estamos bêbados acabamos por ter mais dificuldade em aturar as bebedeiras dos outros, e calha-nos sempre a nós ainda termos de os distribuir pelos diferentes lares. Nessa altura felizmente já não nos compete acalmar os incautos progenitores porque muitos dos colegas vivem sozinhos (pelo menos na maior parte do tempo ou 'oficialmente') e os outros... bem... nessa altura já os pais tiveram tempo para conhecer as encomendas que tinham lá por casa. Mas mesmo assim é chato, e por isso voltei a beber (leia-se 'voltei a beber muito', que parar nunca deixei). Vêm como estas coisas são? Tivessem eles aderido aos Alcóolicos Anónimos e eu não estaria hoje de ressaca. 

 

Seguiram-se por isso alguns anos Smirnofianos e conheci algo extraordinário que se chama 'Black Russian'. De que vale ter uns conhecimentos no Gandum's, Conventual e no extinto Seagull, se não para apanhar bebedeiras interessantes? O mesmo não deve ter achado o polícia que nos mandou parar certa vez logo à saída de Setúbal, mas aí curiosamente garanto que foi a tosta mista que me caiu mal (onde é que já ouvi esta da tosta??) e por esse motivo não era eu que ia a conduzir.

 

Entretanto inicia-se a vida profissional e aquele beber mais social, ao jantar. Surge o gosto por um bom vinho tinto e o prazer de se beber moscateis de qualidade. Prima-se não só pela qualidade da bebida como pela da comida, mas sobretudo pela da companhia. Não imaginem no entanto algo muito selecto pois com os vizinhos que temos não é estranho ter surgido um 'Livrinho de vinhos' com o intuito de classificar o que nos passava pela mesa, e que tenha acabado por descambar em provas escritas dos excessos alcóolicos.

 

E claro que qualquer festividade passa a incluir trajes bem mais elaborados, mesas bem mais fartas, mas nem por isso o álcool deixa de assumir lugar de destaque. Que o digam os convivas do célebre Halloween de 2009 que tiveram a coragem de provar aquele gellyvodka. Óbvio que não me poderei nunca responsabilizar pelos comportamentos que se seguiram, e eu própria assumo a minha quota parte de disparate. Mas que a malta se divertia... divertia! E tenho por aqui guardado um vídeo feito quase de madrugada, com os elementos que ainda restavam a fazerem diálogos com gomas em forma de minhoca, que tenciono guardar religiosamente para um dia vos poder envergonhar à frente dos vossos filhos.

 

E por falar em filhos... preparem-se, pois é aí que tudo muda. Não é que seja menos divertido assistir às mabecadas dos miúdos prédio acima e abaixo, enquanto pedimos doces gritando 'Doçura ou travessura', ou como a minha filha prefere 'Sou um esqueleto maaaaaau' (ver post 'Personalidade'). Mas claro que aí já não poderemos estar alcoolizados, ou ainda trazemos a bruxa errada para casa. A parte boa é que se para tudo na vida existe uma solução, a deste caso chama-se avós, e foi a eles que recorremos para tentar passar uma sexta feira romântica a dois, a comer calmamente, sem pausas para contar 'Mais uma história' ou mudar fraldas, e a beber sem peso na consciência.

 

A escolha recaiu sobre um tinto de nome 'Guadalupe' de 2010, de rótulo estrelado, com a inscrição 'A magia de um lugar' a fazer-nos perder na mística e esquecer o que dizia no verso 'Ideal para acompanhar pratos intensos'. Pois... o prato não era intenso. Era uma bela salada de búzios, uns camarões e sim... eu sei que deveria ter sido acompanhado com um rosé ou quanto muito um frisante, e não é que a garrafeira não estivesse abastecida, mas cabeça de mãe torna-se esquecida e já não fui a tempo de colocar uma dessas garrafinhas mais... leves no frigorífico. E por isso marchou mesmo o tintinho. Bem leve por sinal. Agora... não sei se terá sido da comida pouco intensa, ou dos 14% de teor alcóolico, ou simplesmente porque hoje em dia a diferença já não está apenas na quantidade e qualidade do álcool ingerido mas sobretudo no efeito. Se antes nos dava ritmo para a 'night', agora tira-nos o ritmo e deixa-nos a babar no sofá. 

 

Claro que quando imaginamos uma noite de sexta feira sem os miúdos nunca é isto que nos passa pela cabeça, mas sim... é isto que muitas vezes acaba por acontecer. E lá nos acabamos por arrastar a meio da noite para a cama, pelo menos com a certeza de que durante a noite não teremos que os socorrer de mais um pesadelo e que no dia seguinte poderemos dormir mais um pouco para curar a ressaca. Ainda bem que não foi amêndoa amarga!

As imagens utilizadas neste blog são na sua maioria de autoria própria ou de amigos e familiares, com o devido consentimento. A autoria daquelas que são retiradas da internet será indicada sempre que seja possível fazê-lo de forma inequívoca, mas mesmo assim poderão ser removidas caso o autor o entenda, bastando para tal contactar-me para o e-mail aqui indicado.


2 comentários

De twin_mummy a 09.11.2013 às 00:27

Pois foi! E não é que eu seja a favor na construção numa zona protegida, mas alguém acha que aquilo assim abandonado está melhor? Ou em que medida é que será diferente da chacina ambiental que fizeram no Portinho da Arrábida para arranjar melhores acessos e mais estacionamento?
Pimba! Para aqueles fulanos todos que nos estragaram as noitadas!

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

calendário

Novembro 2013

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930



O MEU E-MAIL

mail.twinmummy@gmail.com Enviem perguntas, sugestões, ou simplesmente digam olá!

A MINHA PÁGINA DO FACEBOOK

https://www.facebook.com/TwinMummyblog