Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Desculpe-me senhor sapo!

por twin_mummy, em 02.01.14

Ao senhor sapo que quase atropelei pelo caminho peço as minhas mais sentidas desculpas. E não, não falo no sentido figurado, já que um desses bichinhos se atravessou na estrada e me fez guinar o volante e recuar no tempo.

 

Há muitos muitos anos, quando eu estava a estagiar a mais de 100 kms de casa, calhava de passar por uma zona de grande irrigação fluvial (ai que poética que eu hoje estou), e naqueles quilómetros finais calhava sempre de encontrar algum animal. Os corvos e as cegonhas eram os mais usuais, mas a dada altura encontrei lagostins. E desviei-me, claro!

 

Pois no dia seguinte em vez de 2 ou 3 tinha a estrada coberta de lagostins. Ao ponto de a cada volta de rodado ouvir aquele 'crrrssssshhhh' característico, como quem martela uma sapateira. Parar não podia, que aquela maltinha tinha ar de quem ia ficar por ali a cirandar todo o dia, e eu tinha quem me esperasse no destino. Outro caminho também não havia pelo que segui em frente, mas sempre de peso na consciência por matar algo que não comesse de seguida.

 

E tanto isso me perturbou que acabou por ser tema de conversa ao almoço com o meu orientador. Pelos vistos os animais estavam em época de migração e o trajecto passava por aquele local exacto onde resolveram fazer uma estrada. A culpa não seria dos animais, é certo... mas eu confesso que não estava ansiosa por fazer o trajecto de regresso a esmagar mais umas dezenas de... caraças! Aquilo era marisco, certo? De rio, mas marisco! Vai daí lembrei-me de perguntar se era comestível e foi aí que se fez luz. Pelo menos se fosse para matar que comesse, não? Liguei à mamã e ela disse que sim, que sabia cozinhar lagostins de rio, e que o meu pai até apreciava.

 

Decidida então a transformar os quilómetros seguintes em caçada fiz-me à estrada em final do dia já com a missão estudada. Acontece que no porta bagagens do meu carro sempre andou o triângulo de sinalização, o colete, o extintor, o kit de primeiros socorros, e aquela coisa tão útil em caso de pneu furado (acreditem que já perdi a conta aos que troquei, e quando o nosso primeiro carro é um VISA 10E com uma década dá muito jeito ter tais acessórios) que se chama WD-40, e depois a bisnaga de supergel e o paninho para limpar as mãos. Mas nada de sacos.

 

Quem não me conhece pode achar que sou pessoa de desistir à mínima contrariedade, mas eu devo ser mais teimosa e determinada que uma mula (talvez seja isso que ainda me faz aguentar), e por isso apanhei-os (sim, à mão, que no fundo aquilo são caranguejos e tal proeza eu estava habituada a fazer nas pescarias com o meu avô e nos pontões das praias da Costa da Caparica) e atirei-os para o porta-bagagens. Dei-lhes uma lição de moral para não estragarem nada ou teriam uma morte lenta (ehehe) e lá prossegui caminho.

 

 

Chegada a casa da minha mãe, feliz e orgulhosa com a caçada, esta quebrou-me o raciocínio quando guinchou ao olhar para o porta bagagens. 

-Mas vêm vivos!! E à solta!! -dizia ela completamente abismada.

 

Juro que por momentos aquela não me parecia a mesma mãe que insistiu com uma pirralha de 3 ou 4 anos (eu, portanto) que tinha que tirar as rãs todas que lhe tinha posto cuidadosamente no casaco, enquanto ela e uma amigas andavam a pescar enguias ao cesto (uma bela tradição que espero não esteja esquecida) num regato perto de Leiria. Recordo-me do discurso da altura... de que não as podia levar porque não iam sobreviver. Porque só eram felizes ali, e blá, blá... A mesma mãe que certa vez, a caminho de Serpa, quando fizemos uma das muitas paragens de beira de estrada que a inexistência de auto-estrada e a co-existência de 2 mabecas tolas no banco de trás de um Fiat 124 (nada é suficientemente largo quando duas manas andam à porrada) nos obrigava a fazer, me negou o transporte de uma maria-café que encontrei nas ervinhas. Já devias saber o que a casa gasta, certo??

 

Vai daí eu, teimosa como sou (não sei se já vos disse isto) liguei para recém sogra (namorava há pouco tempo e por isso imagino a imagem com que ela ficou a meu respeito logo nessa altura) que disse que sim, os sabia cozinhar (desconfio agora que esta deve ser a resposta pronta de mãe, tipo 'Claaaaaro que sim! Sei cozinhar isso e muito mais.'). E lá incertei eu novamente caminho, não sem antes a minha mãe ter insistido para pelo menos os levar numa panela, que o meu pai apertou com sisal, de forma a que a tampa não saltasse.

 

Pois... mas em casa da sogra o cenário não foi diferente, e alguns gritinhos depois, decidi fazer eu o petisco. Não estava mal, mas tenho a reter que os lagostins de rio precisam de bem mais sal que os outros...

 

E assim, depois desta derrapagem pela maionaise, voltámos ao presente, onde o co-irresponsável garante que nenhum sapo ficou ferido no decorrer desta história. Já eu... não tenho tanta certeza. Acho que simplesmente o meu gajo ainda gosta de mim o suficiente para me pregar uma mentira piedosa ou impedir-me de voltar atrás para desviar o sapo do caminho. Não sei porquê... prefiro pensar que está tudo bem com o sapinho, e que apenas levou um valente susto, e uma repreensão da mamã dele por ter atravessado a estrada sem olhar.

As imagens utilizadas neste blog são na sua maioria de autoria própria ou de amigos e familiares, com o devido consentimento. A autoria daquelas que são retiradas da internet será indicada sempre que seja possível fazê-lo de forma inequívoca, mas mesmo assim poderão ser removidas caso o autor o entenda, bastando para tal contactar-me para o e-mail aqui indicado.


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

calendário

Agosto 2018

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031

Posts recentes



O MEU E-MAIL

mail.twinmummy@gmail.com Enviem perguntas, sugestões, ou simplesmente digam olá!

A MINHA PÁGINA DO FACEBOOK

https://www.facebook.com/TwinMummyblog